Saltar al contenido

Cambiar

Foto

MUNDO BRASILEÑO | Octubre

Teleseries Teleseries extranjeras Rede Globo Record TV

  • Este tema está cerrado Este tema esta cerrado
173 respuestas a este tema

#41
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Outra novela

Depois de Onde Nascem os Fortes, Marco Pigossi ficará à disposição das próximas novelas. E já se dá como certa sua participação em um trabalho de estreia da autora Manuela Dias na faixa das 21h.

Flavio Ricco



#42
Tyrant

Tyrant
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Santiago de Chile
Manuela Dias es la autora principal de justicia vdd? La idea fue suya etc?

Si es así, a ver qué traerá al horario nobre esa queen :pordios:


#43
Milana

Milana
  • Sexo:Mujer

Manuela Dias es la autora principal de justicia vdd? La idea fue suya etc?

Si es así, a ver qué traerá al horario nobre esa queen :pordios:

Sí. Había una entrevista bien interesante a ella. Estudia griego los viernes a la noche! 


  • A Vasco y Tyrant les gusta esto

#44
Tyrant

Tyrant
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Santiago de Chile

:soto:



#45
Milana

Milana
  • Sexo:Mujer

:soto:

 Aparte ha trabajado en Globo por 20 años primero como investigadora y luego como colaboradora entre varios de Thelma y Duca. 


  • A Vasco, MandyWCE y Tyrant les gusta esto

#46
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Recado

Gloria Perez agradeceu à equipe de A força do querer na última página do script. Foi bonita, leve e afetuosa a nossa caminhada, disse.



Aliás....

Gloria tem razões de sobra para comemorar. De 3 de abril (estreia) a 7 de outubro, a novela marcou 36 em São Paulo. Foi a maior média desde Avenida Brasil, que cravou 38 nesse período (27 semanas). No Rio, chegou a 37, o índice mais alto desde Amor à vida.



... Finalmente

A força do querer teve recorde semanal, de 2 a 7 de outubro: 43 pontos, em São Paulo. São 12 a mais que o obtido na primeira semana. No Rio, foram 44, 11 acima da semana de estreia.

Patricia Kogut


#47
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Camila Morgado é convidada para protagonizar 'Malhação'

275318.jpg

As drogas e o assédio sexual serão os dois primeiros temas abordados na nova temporada de Malhação. Camila Morgado foi convidada para ser a protagonista da trama, que será escrita por Patrícia Moretzsohn com supervisão de Daniel Ortiz. A personagem é uma professora.

Patricia Kogut


#48
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Pelo sogro, atriz deixa novelas da Globo e faz testes para filmes em Hollywood

fernanda_machado_a_menina_indigo_fixed_m

Há dois anos nos Estados Unidos, Fernanda Machado começou a procurar papéis na maior indústria de entretenimento do mundo: Hollywood. A atriz de 36 anos mora na cidade de Santa Barbara, Califórnia, com o marido americano e o filho de dois anos, e não pretende deixar a família lá para voltar às novelas da Globo. Longe da TV desde 2014, ela contratou uma agente em Los Angeles e tem feito testes para filmes.

"Pintou um filme quando o Lucca tinha seis meses, mas eu não quis abrir mão da amamentação. Agora, devagarzinho, estou começando a retomar, até fiz alguns testes nesses dois últimos meses. Se a gente [ela e o filho] tiver que ficar uns dois dias longe, já estou mais preparada, acho que agora é o momento. Talvez eu comece a fazer mais testes por lá", diz.

Fernanda veio ao Brasil na semana passada para divulgar o filme A Menina Índigo, que estreia nesta quinta (12). Ela trouxe o filho, Lucca, mas conta que não pode se distanciar dos Estados Unidos com ele por muito tempo. O sogro da atriz é idoso, não está bem de saúde e só tem o marido da atriz para ajudá-lo. Toda a família está envolvida nos cuidados.

Por isso, a atriz só pensa em voltar a trabalhar no Brasil se puder ter compromissos curtos, como séries e filmes. Novela agora, nem pensar.


"Tive vários convites nesses dois anos pra novela, mas realmente não consigo voltar a fazer. É um ano gravando. Meu marido é a única pessoa que meu sogro tem. Não posso falar 'Vamos pro Brasil fazer uma novela, amor?'. É uma pessoa que depende da gente e eu não posso ser egoísta, também não posso falar 'Tô indo pro Brasil, vou levar seu filho, você vai ficar um ano sem vê-lo', porque meu marido trabalha. Realmente não posso dividir minha família agora", conta.

"Morro de vontade [de voltar à TV], digo não com o coração apertado. Mas estou super aberta pra fazer projetos de dois meses, porque aí é mais possível. Provavelmente vou fazer um projeto de dois meses no final do ano, e depois posso voltar com um trabalho menor, um filme, uma série", torce.

Mãe em tempo integral
Em A Menina Índigo, Fernanda interpreta a mãe de uma menina que tem o poder de curar os outros. Ela diz se identificar bastante com as agruras e com a dedicação que sua personagem vive na ficção. A atriz, que se destacou em tramas como Caras & Bocas (2009) e Paraíso Tropical (2007), tem a maternidade como sua principal atividade hoje.


Desde que descobriu que tinha endometriose (doença do sistema reprodutivo feminino) e teve de fazer uma cirurgia em meio às gravações de Amor À Vida (2013), passou a dividir mais detalhes de sua vida pessoal com o público. Atualmente, Fernanda tem um canal no YouTube e usa seus perfis nas redes sociais para falar sobre o crescimento de seu filho e dar dicas para outras mães.

"Fui recebendo cada vez mais mensagens de mães falando 'Você me ajudou a aprender sobre amamentação, me ajudou a decidir pelo parto normal', e isso foi tocando e me motivando a dividir mais e mais. Essa troca me dá força nos dias que está difícil", relata.

"Tem assunto que não acaba mais. Eu gosto de ter vídeos elaborados, faço roteiro, estudo, e faço tudo sozinha, além de cuidar do Lucca. Dá um trabalhão, mas você vai aprendendo. Em alguns momentos pensei se valia a pena ficar me expondo assim, mas já recebi tantos emails falando que o que eu faço é muito importante que vou continuar", afirma.

http://noticiasdatv....ollywood--17162


#49
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Lunes 9 de octubre

xlogo-emissoras-de-tv-5342ebb855bf4.png.

Senhora do Destino 19,8
Malhação 20,7
Tempo de Amar 22,8
SP2 28,5
Pega Pega 30,0
Jornal Nacional 32,7
A Força do Querer 42,5

logo-emissoras-de-tv-5838601505f05_origi

Ribeirão do Tempo 6,3
Bicho do Mato 4,6
Cidade Alerta 6,0
Os Dez Mandamentos 5,6
SP Record 5,0
Belaventura 5,1
O Rico e Lázaro 9,1

x19-08-2014-53f3686524da0.png.pagespeed.

Carinha de Anjo 11,2
Chiquititas 7,4


#50
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Martes 10 de octubre

xlogo-emissoras-de-tv-5342ebb855bf4.png.

Senhora do Destino 20,5
Malhação 20,0
Tempo de Amar 21,3
SP2 25,5
Pega Pega 28,6
Jornal Nacional 30,9
Eliminatórias da Copa: Brasil x Chile 40,4
A Força do Querer 42,6

logo-emissoras-de-tv-5838601505f05_origi

Ribeirão do Tempo 6,1
Bicho do Mato 4,7
Cidade Alerta 6,5
Os Dez Mandamentos 6,4
SP Record 6,2
Belaventura 6,9
O Rico e Lázaro 9,9

x19-08-2014-53f3686524da0.png.pagespeed.

Carinha de Anjo 9,6
Chiquititas 9,6


#51
Maky

Maky
  • Sexo:Mujer

Tempo de Amar :qepd:



#52
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler

Tempo de Amar :qepd:


Ayer duró 10 minutos menos y seguro fue al aire antes por culpa del partido :gretchen:

  • A Maky y Dedos les gusta esto

#53
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Há 30 anos, novela foi censurada por incesto, bissexualidade e política

mandala_foto_capa_fixed_big.jpg

Protagonizada por Vera Fischer, a novela Mandala apresentou ao público uma família brasileira nada tradicional em 12 de outubro de 1987, data de sua estreia. A trama, de autoria de Dias Gomes, tinha uma tragédia grega como ponto de partida e explorava vários tabus da sociedade, como bissexualidade, misticismo e vício em drogas.

Sob a vigência da Censura Federal, que só acabaria no ano seguinte, a Globo teve de negociar em Brasília para manter cenas consideradas impróprias. Mas algumas passagens políticas e tramas sofreram tesouradas.

A história dos personagens principais era baseada em Édipo Rei, tragédia de Sófocles em que um filho se apaixona pela mãe. Jocasta, vivida por Vera, e Édipo, personagem de Felipe Camargo, seguiram essa mesma trajetória ao longo dos capítulos, e a emissora sofreu muita resistência até conseguir permissão para exibir um beijo entre os dois, mãe e filho.

O início da trama, que se passava em 1961, também não agradou aos censores. Com personagens comunistas e referências ao governo de Jânio Quadros (1961), a sinopse da novela só foi liberada após a equipe realizar as alterações solicitadas.

Relembre as polêmicas que marcaram Mandala:

mandala_beijo_mae_filho.jpg

Complexo de Édipo
Na primeira fase da novela, após engravidar Jocasta (Giulia Gam), Laio (Taumaturgo Ferreira) pediu conselhos a seu guru espiritual. Argemiro (Marco Antonio Pâmio) previu que o menino iria odiá-lo e teria uma relação amorosa com a mãe. Assustado, Laio tramou para que a enfermeira da maternidade raptasse o bebê e sumisse com ele.

Anos depois, Jocasta continuava à procura do filho perdido quando encontrou Édipo por acaso _se tornou chefe da então namorada dele. Sem saber que eram mãe e filho, os dois não resistiram à paixão.

A censura tentou proibir uma cena de beijo entre eles, sob a alegação de que seria muito agressiva para o público. Após muitas negociações, a Globo conseguiu que a sequência fosse ao ar com o argumento de que os personagens desconheciam suas condições de mãe e filho. Os dois, no entanto, não ficaram juntos na história.

Após interpretarem o casal inusitado na segunda fase da trama, Felipe Camargo e Vera Fischer começaram um namoro real, que virou casamento em 1988. O relacionamento terminou em 1995.

mandala_argemiro_carlos_augusto_strazzer

Misticismo
A segunda fase de Mandala foi marcada por muitas cenas que envolviam práticas místicas, nem sempre voltadas para o bem. O personagem Argemiro (Carlos Augusto Strazzer) era o principal foco: guru espiritual, ele jogava búzios, fazia profecias e até travou uma batalha mental contra seu grande "parceiro" em toda a trama, Laio. Este, por sua vez, era estudioso voraz de várias práticas esotéricas e recorria também a cartomantes e pais de santo para se guiar sobre suas decisões de negócios ilícitos.

mandala_creonte_incesto.jpg

Incesto Parte 2
Além do relacionamento entre mãe e filho, Jocasta também provocava desejos sexuais em seu próprio irmão, Creonte (Gracindo Jr.). Ele sentia muito ciúme da irmã e raiva por não poder expressar sua paixão sem ser repreendido. Creonte afastava todos que se interessavam por Jocasta, mas não conseguiu impedir que ela terminasse a trama ao lado do carismático Tony Carrado (Nuno Leal Maia).

mandala_novela_politica.jpg

Trama política
Na primeira fase da novela, Jocasta era uma estudante de sociologia e seu pai, militante do Partido Comunista. Os dois participavam ativamente da campanha legalista, que pedia a manutenção da ordem jurídica no Brasil após a renúncia de Jânio Quadros (1917-1992), em agosto de 1961. Os militares, por outro lado, defendiam o rompimento da ordem jurídica, o impedimento da posse do vice João Goulart (1919-1976) e a convocação de novas eleições.

Mesmo em 1987, após o período da Ditadura Militar (1964-1985), o governo de José Sarney (1985-1990) ainda contava com censores federais, que implicaram com as insinuações políticas da trama. Eles criticaram muito o texto original dos primeiros capítulos, e os roteiristas foram obrigados a mudar algumas passagens.

mandala_perry_salles_2.jpg

Bissexualidade e drogas
Ainda que não fosse retratada como algo muito explícito, ficou claro para o público (e para os censores) que a relação entre Argemiro e Laio (Perry Salles na segunda fase) era mais do que apenas amizade. Na primeira fase, Argemiro era extremamente ligado a Laio e assumia que detestava a namorada dele, Jocasta. Já na segunda fase, Laio tinha um amante, chamado Cris.

Já as drogas aparecem na história do personagem Hans (Marcos Breda), um dos rapazes que Jocasta conheceu na busca por seu filho desaparecido. Tentando acreditar que aquele era o bebê que ela teve, a protagonista procurou ajudá-lo a se livrar do vício.

Temas como bissexualidade e drogas foram considerados impróprios para o horário das 20h30 pela Censura, que só liberou propostas da sinopse de Mandala com alterações.

http://noticiasdatv....-politica-17235


#54
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Miércoles 11 de octubre

xlogo-emissoras-de-tv-5342ebb855bf4.png.

Senhora do Destino 17,0
Malhação 17,5
Tempo de Amar 20,3
SP2 24,1
Pega Pega 27,3
Jornal Nacional 27,2
A Força do Querer 34,4

logo-emissoras-de-tv-5838601505f05_origi

Ribeirão do Tempo 6,5
Bicho do Mato 4,8
Cidade Alerta 6,4
Os Dez Mandamentos 6,3
SP Record 6,5
Belaventura 5,9
O Rico e Lázaro 8,2

x19-08-2014-53f3686524da0.png.pagespeed.

Carinha de Anjo 10,2
Chiquititas 10,8

Jueves 12 de octubre

xlogo-emissoras-de-tv-5342ebb855bf4.png.

Senhora do Destino 17,9
Malhação 17,7
Tempo de Amar 21,1
SP2 25,4
Pega Pega 27,2
Jornal Nacional 29,7
A Força do Querer 41,1

logo-emissoras-de-tv-5838601505f05_origi

Ribeirão do Tempo 5,7
Bicho do Mato 4,2
Cidade Alerta 5,5
Os Dez Mandamentos 5,7
SP Record 5,7
Belaventura 5,5
O Rico e Lázaro 9,3

x19-08-2014-53f3686524da0.png.pagespeed.

Carinha de Anjo 9,2
Chiquititas 6,8


#55
Milana

Milana
  • Sexo:Mujer

Há 30 anos, novela foi censurada por incesto, bissexualidade e política

mandala_foto_capa_fixed_big.jpg

Protagonizada por Vera Fischer, a novela Mandala apresentou ao público uma família brasileira nada tradicional em 12 de outubro de 1987, data de sua estreia. A trama, de autoria de Dias Gomes, tinha uma tragédia grega como ponto de partida e explorava vários tabus da sociedade, como bissexualidade, misticismo e vício em drogas.

Sob a vigência da Censura Federal, que só acabaria no ano seguinte, a Globo teve de negociar em Brasília para manter cenas consideradas impróprias. Mas algumas passagens políticas e tramas sofreram tesouradas.

A história dos personagens principais era baseada em Édipo Rei, tragédia de Sófocles em que um filho se apaixona pela mãe. Jocasta, vivida por Vera, e Édipo, personagem de Felipe Camargo, seguiram essa mesma trajetória ao longo dos capítulos, e a emissora sofreu muita resistência até conseguir permissão para exibir um beijo entre os dois, mãe e filho.

O início da trama, que se passava em 1961, também não agradou aos censores. Com personagens comunistas e referências ao governo de Jânio Quadros (1961), a sinopse da novela só foi liberada após a equipe realizar as alterações solicitadas.

Relembre as polêmicas que marcaram Mandala:

mandala_beijo_mae_filho.jpg

Complexo de Édipo
Na primeira fase da novela, após engravidar Jocasta (Giulia Gam), Laio (Taumaturgo Ferreira) pediu conselhos a seu guru espiritual. Argemiro (Marco Antonio Pâmio) previu que o menino iria odiá-lo e teria uma relação amorosa com a mãe. Assustado, Laio tramou para que a enfermeira da maternidade raptasse o bebê e sumisse com ele.

Anos depois, Jocasta continuava à procura do filho perdido quando encontrou Édipo por acaso _se tornou chefe da então namorada dele. Sem saber que eram mãe e filho, os dois não resistiram à paixão.

A censura tentou proibir uma cena de beijo entre eles, sob a alegação de que seria muito agressiva para o público. Após muitas negociações, a Globo conseguiu que a sequência fosse ao ar com o argumento de que os personagens desconheciam suas condições de mãe e filho. Os dois, no entanto, não ficaram juntos na história.

Após interpretarem o casal inusitado na segunda fase da trama, Felipe Camargo e Vera Fischer começaram um namoro real, que virou casamento em 1988. O relacionamento terminou em 1995.

mandala_argemiro_carlos_augusto_strazzer

Misticismo
A segunda fase de Mandala foi marcada por muitas cenas que envolviam práticas místicas, nem sempre voltadas para o bem. O personagem Argemiro (Carlos Augusto Strazzer) era o principal foco: guru espiritual, ele jogava búzios, fazia profecias e até travou uma batalha mental contra seu grande "parceiro" em toda a trama, Laio. Este, por sua vez, era estudioso voraz de várias práticas esotéricas e recorria também a cartomantes e pais de santo para se guiar sobre suas decisões de negócios ilícitos.

mandala_creonte_incesto.jpg

Incesto Parte 2
Além do relacionamento entre mãe e filho, Jocasta também provocava desejos sexuais em seu próprio irmão, Creonte (Gracindo Jr.). Ele sentia muito ciúme da irmã e raiva por não poder expressar sua paixão sem ser repreendido. Creonte afastava todos que se interessavam por Jocasta, mas não conseguiu impedir que ela terminasse a trama ao lado do carismático Tony Carrado (Nuno Leal Maia).

mandala_novela_politica.jpg

Trama política
Na primeira fase da novela, Jocasta era uma estudante de sociologia e seu pai, militante do Partido Comunista. Os dois participavam ativamente da campanha legalista, que pedia a manutenção da ordem jurídica no Brasil após a renúncia de Jânio Quadros (1917-1992), em agosto de 1961. Os militares, por outro lado, defendiam o rompimento da ordem jurídica, o impedimento da posse do vice João Goulart (1919-1976) e a convocação de novas eleições.

Mesmo em 1987, após o período da Ditadura Militar (1964-1985), o governo de José Sarney (1985-1990) ainda contava com censores federais, que implicaram com as insinuações políticas da trama. Eles criticaram muito o texto original dos primeiros capítulos, e os roteiristas foram obrigados a mudar algumas passagens.

mandala_perry_salles_2.jpg

Bissexualidade e drogas
Ainda que não fosse retratada como algo muito explícito, ficou claro para o público (e para os censores) que a relação entre Argemiro e Laio (Perry Salles na segunda fase) era mais do que apenas amizade. Na primeira fase, Argemiro era extremamente ligado a Laio e assumia que detestava a namorada dele, Jocasta. Já na segunda fase, Laio tinha um amante, chamado Cris.

Já as drogas aparecem na história do personagem Hans (Marcos Breda), um dos rapazes que Jocasta conheceu na busca por seu filho desaparecido. Tentando acreditar que aquele era o bebê que ela teve, a protagonista procurou ajudá-lo a se livrar do vício.

Temas como bissexualidade e drogas foram considerados impróprios para o horário das 20h30 pela Censura, que só liberou propostas da sinopse de Mandala com alterações.

http://noticiasdatv....-politica-17235

Para el brasileño promedio esa es la novela donde la Fischer y Camargo se enamoraron. Aparte quedó aún más en el olvido debido a su sucesora Vale Tudo. Curiosamente fue vendida al extranjero. 


  • A Vasco le gusta esto

#56
Vasco

Vasco

    Vida? Me suena esa palabra...

  • Forista Hombre del Mes
  • 36.890 Mensajes
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:La Serena, Región de Coquimbo

mandala_novela_politica.jpg

 

 

La rubia se parece a Giulia Gam :duda:

 

Es ella? :duda:



#57
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler

mandala_novela_politica.jpg
 
 
La rubia se parece a Giulia Gam :duda:
 
Es ella? :duda:


Si :xD:

  • A Vasco le gusta esto

#58
MandyWCE

MandyWCE
  • Sexo:No especificado
  • Ubicación:Vitória, ES - Brasil
  • Intereses:Telenovelas, séries, peliculas, musica y todo de la cultura pop en general.

mandala_novela_politica.jpg

 
La rubia se parece a Giulia Gam :duda:
 
Es ella? :duda:


Sí, fue su estreno en las novelas (creo) :mm:
Hizo la protagonista en la primera fase, que después fue interpretada por Vera Fisher

  • A Vasco le gusta esto

#59
Erre

Erre

    Superhéroe de Fotech

  • Moderador
  • 45.655 Mensajes
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Ciudad República
  • Intereses:Rede Erre

ATV vuelve con las brasileñas...Por Siempre a las 4 de la tarde :soto:

 

---

 

Supermax por Azteca 7 :janin4:

 

DMC6nvZWAAIh-HZ.jpg


  • A Mahler le gusta esto

#60
Tyrant

Tyrant
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Santiago de Chile
Richness Supermax :bbb:

Editado por Tyrant, 13 octubre 2017 - 22:20 hrs..






También se etiquetó con una o más de estas palabras clave: Teleseries, Teleseries extranjeras, Rede Globo, Record TV

0 usuarios están leyendo este tema

0 miembros, 0 invitados, 0 usuarios anónimos