Saltar al contenido

Cambiar

Foto

OFICIAL | "Tempo de Amar": Con Vitoria Strada, Bruno Cabrerizo, Jayme Matarazzo, Andreia Horta, Tony Ramos, Regina Duarte, Deborah Evelyn, Henri Castelli, entre otros. Novela de Alcides Nogueira.

Rede Globo Amor e Morte

  • Please log in to reply
194 respuestas a este tema

#181
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
No soporto a Delfina :pordios:

Me desespera que sea tan mala :llora:



#182
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Melodramática e sem humor, "Tempo de Amar" lembra as antigas radionovelas

tempodeamar_reproducao04.jpg

Tempo de Amar, a atração das seis da tarde da Globo, remete às antigas radionovelas. O texto, a trama e a narrativa corroboram essa impressão. Há ainda a trilha sonora, eficientemente pontuada. Sim, bastaria apenas ouvi-la, como no rádio. Mas daí perde-se o espetáculo visual oferecido pelo diretor artístico Jayme Monjardim, em fotografia, cenários, figurinos e arte.

Tempo de Amar lembra as radionovelas pelo conteúdo não pelo meio (de exibição). O autor Alcides Nogueira apresenta um texto perfeito. Dá gosto ouvir todos os personagens falando o português culto, dispensando o informal até nas cenas mais corriqueiras envolvendo os personagens mais informais. Há ainda, na trama, um quê de O Direito de Nascer, um ícone da era de ouro do rádio latino-americano.

As radionovelas se popularizaram entre as décadas de 1930 e 1950. Tempo de Amar conta uma história de época, que se passa no final da década de 1920, ambientada ora no interior de Portugal, ora no Rio de Janeiro. É assumidamente um folhetim de raiz, fazendo uso de todos os entrechos típicos do gênero. Porém, não abre mão de abordagens permitidas hoje que seriam inviáveis na época das radionovelas. Tempo de Amar não é uma novela anacrônica.

Mas nem por isso apresenta alguma novidade. Está dentro do espectro de nosso tempo, mas presa a um estilo do passado. Uma novela contemporânea antiga. Ou antiga contemporânea. A crítica maior vai ao excesso de sofrimento dos personagens. É um texto que pesa no melodrama, quase soturno, e não há alívio cômico, o que a aproxima ainda mais das radionovelas. Ou das telelágrimas, como eram chamadas as primeiras telenovelas, ainda presas ao estilo radiofônico.

O título mais apropriado seria Tempo de Sofrer, como bem lembrou o amigo Maurício Stycer em sua crítica

https://nilsonxavier...s-radionovelas/


#183
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Grupo de discussão revela que público aprova protagonistas de 'Tempo de amar'

vitoria.jpg

O grupo de discussão de Tempo de amar, na semana passada, revelou que o público aprova os estreantes Bruno Cabrerizo e Vitória Strada. Os participantes da pesquisa, porém, se mostraram divididos sobre quem deve ficar com Maria Vitória: Inácio (Bruno) ou Vicente (Bruno Ferrari).

Patricia Kogut


#184
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
A pesquisa

Saiu o resultado final do grupo de discussão de Tempo de amar. A novela no geral foi bem avaliada, mas as pessoas entrevistadas acham que a trama poderia ser mais leve. Haverá um reforço nas cenas de humor.

Patricia Kogut


#185
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
"Tempo de Amar" descarta entrada de "comediante" no elenco

maria-vitoria-vitoria-strada-abraca-hele

Pelo andar da carruagem, Tempo de Amar não terá nenhum novo ator ou atriz, com pegada de humor, reivindicação feita no grupo de discussão da novela.

E não haverá porque existe a certeza que ele [humor] já existe no núcleo da Deborah Evelyn, dos italianos, no cabaré.

Só não chegou ainda a ponto de uma torta na cara, mas se precisar...

Flavio Ricco


#186
Maky

Maky
  • Sexo:Mujer

Malu Mader participará de "Tempo de Amar" com personagem de "Força de um Desejo"

 

https://natelinha.uo...sejo-112691.php



#187
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
O público deveria prestigiar e valorizar textos como o de "Tempo de Amar"

tempodeamar_divulgacao32.jpg

Assim que estreou Tempo de Amar, fiz coro à crítica de que era uma história pesada, sofrida. Cobrei um alívio cômico para suportar tanto padecimento dos personagens. Crítica revisada!

Pouco mais de dois meses após a sua estreia, a trama da novela fluiu, os personagens se encorparam, ganharam estofo. Ninguém mais sofre tanto assim e nem foi preciso apelar para o alívio cômico ostensivo. Sofrem apenas os vilões, que merecem sofrer, como prega todo bom folhetim, e a mocinha (Maria Vitória/Vitória Strada) perseguida pelo vilão (Teodoro Magalhães/Henri Castelli) outra receita do folhetim.

Até já temos dois casais estabelecidos com boa torcida e votos de felicidade. O casal Vivi Vitória e Vicente vividos (não resisti à aliteração infame!) por Vitória Strada e Bruno Ferrari, dois atores excelentes em seus papéis, esbanjando carisma e charme em cena. E, do outro lado, Inácio e Lucinda (Bruno Cabrerizo e Andreia Horta), jocosamente apelidados de Inércio e Louquinda nas redes sociais que sejam felizes, mas que não procriem, para evitar vir ao mundo serumaninhos como eles!

Não vou bater na tecla cansada de que a produção de arte, fotografia e trilha sonora são deslumbrantes, pois esta é uma unanimidade já cantada em prosa e verso. Tempo de Amar vai além, na direção e nas interpretações, proporcionando diariamente cenas magistrais com Marisa Orth, Letícia Sabatella, Lucy Alves, Cássio Gabus Mendes, Andreia Horta, Tony Ramos, Deborah Evelyn, Françoise Forton, Regina Duarte e outros.

Mérito ainda dos autores (Alcides Nogueira e Bia Corrêa do Lago) com um texto irretocável, bonito, sonoro e sutil. Seria bom que o público prestasse mais atenção, prestigiasse e valorizasse textos como o de Tempo de Amar nesse momento em que a TV insiste em entregar tudo mastigadinho ao público e enfia goela abaixo frases repetidas à exaustão.

https://nilsonxavier...-tempo-de-amar/


#188
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
De volta anos depois

Depois de várias novelas na Record, Miriam Freeland fará uma participação em Tempo de amar. O último papel dela na dramaturgia da Globo foi em Um só coração, em 2004. Na trama das 18h, a atriz viverá Gilka Machado, pioneira da poesia erótica no Brasil. A personagem aparecerá num recital no Grêmio Cultural.

Patricia Kogut

Editado por Mahler, 06 enero 2018 - 10:03 hrs..


#189
Vasco

Vasco

    Vida? Me suena esa palabra...

  • Moderador
  • 39.227 Mensajes
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:La Serena, Región de Coquimbo

Malu Mader participará de "Tempo de Amar" com personagem de "Força de um Desejo"

 

https://natelinha.uo...sejo-112691.php

 

Y me entero un mes después! :trastornada:



#190
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Cantar

A convite de Alcides Nogueira, a jornalista e cantora Claudia Matarazzo fará uma participação em Tempo de amar. Ela será Pepita de Oro, amiga que Madame Lucerne (Regina Duarte) convidará para uma apresentação musical na Maison Dorée.

Patricia Kogut


#191
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Júlia Almeida volta às novelas e se prepara para lançar marca de moda praia em Londres

juliaalmeida.jpg

A convite do diretor Jayme Monjardim, Júlia Almeida voltará ao ar em "Tempo de amar" como Eva. A atriz está afastada das novelas desde "A vida da gente", em 2012:

- A personagem chegará de Londres querendo montar uma loja no Rio de Janeiro. Ela se hospedará na pensão de Nicota (Olívia Araújo) e depois se tornará amiga da Celeste Hermínia (Marisa Orth). Me chamou a atenção a força da Eva. Fiquei bem empolgada para fazer. É bom estar de volta.

Júlia começará a aparecer na próxima semana e ficará na história até o fim, em março:

- Dá um frio na barriga, mas, depois de tanto tempo exercendo a profissão, ligo a chave e vou. É só estar bem preparada, com o texto na ponta da língua. Claro que entrar no meio de uma novela me faz sentir um frio na barriga extra, mas o elenco está muito unido e fui bem recebida.

A atriz, que mora em Londres desde 2014, conta que estava de férias no Brasil no ano passado, visitando a família (ela é filha do autor Manoel Carlos), quando recebeu a ligação do diretor. Ela aceitou o papel, mas só agora foi acionada para gravar.

Por causa da nova personagem, Júlia teve que se afastar temporariamente de um projeto no qual está envolvida há cerca de três anos: sua marca de moda praia, a Florita Beachwear.

- Quando fui para Londres, pensei em me dedicar a uma outra atividade. Daí veio a marca. Eu produzo tudo no Brasil, então, fico indo e voltando. Busquei aqui uma boa mão de obra, gente que estava precisando mesmo trabalhar. Queria ajudar, dar algo em troca. Encontrei uma fábrica que reúne várias costureiras. Além disso, uso material reciclável. É um retorno para a natureza. Isso, para mim, é muito importante - explica ela, que conta com uma profissional para desenhar os modelos que idealiza.

As vendas terão início em abril e acontecerão apenas lá fora, por meio de um site. Júlia diz que se concentrou na empreitada e, por isso, acabou não buscando trabalhos como atriz em Londres durantes esses anos:

- Me entreguei muito para a Florita. Quando eu faço algo, é para valer. Não teria como tornar a marca sólida se estivesse me dividindo. Agora, já tenho uma equipe com pessoas nas quais confio e posso delegar funções. Assim, está sendo possível passar essa temporada no Brasil.

Casada com o produtor de fotografia inglês Sebastian Bailey, a atriz afirma que sempre está atenta às opiniões do marido, sobretudo atualmente, no processo de criação da marca:

- Gosto do olhar dele, quero sua ajuda. Estamos juntos há oito anos, é muito tempo. Existe uma relação de muita cumplicidade.

Patricia Kogut


#192
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Para tentar evitar vazamento, Alcides Nogueira vai entregar pessoalmente o último capítulo de 'Tempo de amar'

mariavitoria2.jpg

Para tentar evitar que o desfecho de Tempo de amar vaze, Alcides Nogueira vai entregar pessoalmente o último capítulo. Na redes sociais, a maioria torce muito por Maria Vitória e Vicente. As hashtags #AlcidesNãoMataOVicente e #BeijosSoDeMavicente vêm ocupando o Twitter no horário da novela.

Patricia Kogut


#193
Danilo S.

Danilo S.
  • Sexo:Hombre

Qué bueno que por fin un

 

Melodramática e sem humor, "Tempo de Amar" lembra as antigas radionovelas

tempodeamar_reproducao04.jpg

Tempo de Amar, a atração das seis da tarde da Globo, remete às antigas radionovelas. O texto, a trama e a narrativa corroboram essa impressão. Há ainda a trilha sonora, eficientemente pontuada. Sim, bastaria apenas ouvi-la, como no rádio. Mas daí perde-se o espetáculo visual oferecido pelo diretor artístico Jayme Monjardim, em fotografia, cenários, figurinos e arte.

Tempo de Amar lembra as radionovelas pelo conteúdo não pelo meio (de exibição). O autor Alcides Nogueira apresenta um texto perfeito. Dá gosto ouvir todos os personagens falando o português culto, dispensando o informal até nas cenas mais corriqueiras envolvendo os personagens mais informais. Há ainda, na trama, um quê de O Direito de Nascer, um ícone da era de ouro do rádio latino-americano.

As radionovelas se popularizaram entre as décadas de 1930 e 1950. Tempo de Amar conta uma história de época, que se passa no final da década de 1920, ambientada ora no interior de Portugal, ora no Rio de Janeiro. É assumidamente um folhetim de raiz, fazendo uso de todos os entrechos típicos do gênero. Porém, não abre mão de abordagens permitidas hoje que seriam inviáveis na época das radionovelas. Tempo de Amar não é uma novela anacrônica.

Mas nem por isso apresenta alguma novidade. Está dentro do espectro de nosso tempo, mas presa a um estilo do passado. Uma novela contemporânea antiga. Ou antiga contemporânea. A crítica maior vai ao excesso de sofrimento dos personagens. É um texto que pesa no melodrama, quase soturno, e não há alívio cômico, o que a aproxima ainda mais das radionovelas. Ou das telelágrimas, como eram chamadas as primeiras telenovelas, ainda presas ao estilo radiofônico.

O título mais apropriado seria Tempo de Sofrer, como bem lembrou o amigo Maurício Stycer em sua crítica

https://nilsonxavier...s-radionovelas/

 

Por fin una crítica especializada que reconoce alguna influencia de la dramaturgia hispana en Globo que no sea en tono de burla o desprecio  :intriga:



#194
Mahler

Mahler
  • Sexo:Hombre
  • Ubicación:Mansão Mahler
Equipe vai gravar dois finais para Maria Vitória em 'Tempo de amar'

mariavitoria.jpg

Serão gravados dois finais para Tempo de amar. Num deles, Maria Vitória (Vitória Strada, na foto) terminará com Vicente. No outro, com Inácio. A ideia é manter o suspense até o fim.

Patricia Kogut

  • A Danilo S. le gusta esto

#195
Milana

Milana
  • Sexo:Mujer
thumb-nilson-xavier.png Blog do Nilson Xavier

Seguir

  •  
  •  
  •  

Categorias 

Histórico 

 
 
 
"Tempo de Amar" provou que melodrama clássico pode discutir questões atuais
20

Nilson Xavier

19/03/2018 19h32

tempodeamar_reproducao94.jpg

Bruno Ferrari e Vitória Strada (Foto: reprodução)

Em entrevista, o diretor Jayme Monjardim definiu “Tempo de Amar” como “uma novela do bem”. Com personagens humanos e fortes, a trama de Alcides Nogueira – encerrada nessa segunda (19/03) – fez jus ao título: tratou de amor fraternal de forma ampla e envolvente. Um alento para os olhos, com fotografia belíssima e produção requintada em cenários, figurinos e arte. E alento para os ouvidos, com o português culto na boca dos personagens, uma novidade que chamou a atenção do público. Sem receio do melodrama, autor e diretor propuseram o mergulho em um dramalhão clássico contado em ritmo cadenciado; bem construído e com uma trama redonda – até certo ponto.

Alguns escorregões

O público vinha de uma novela movimentada e alegre (“Novo Mundo“) e, a princípio, estranhou em “Tempo de Amar” a desaceleração no ritmo e o excesso de sofrimento dos personagens nas primeiras semanas, o que rendeu à produção a alcunha de “Tempo de Sofrer“. Autor e diretor explicaram que o início sofrido foi necessário, para que a história pudesse engrenar. O roteiro não foi alterado e logo os personagens encontraram dias melhores – bem como uma trama mais fluida. O ritmo foi condizente com o seu contexto, e não lhe tira a qualidade. O humor, sempre leve, foi inserido gradativamente. Neste particular, destacaram-se o núcleo da geleia Supimpa – de Alzira (Deborah Evelyn), Pepito (Maicon Rodrigues) e companhia – e a agradável Dona Nicota (Olívia Araújo).

O longo desencontro dos protagonistas, em algumas situações forçadas, fez a trama parecer girar em círculos. Mesmo com amigos em comum em uma mesma cidade, Inácio e Maria Vitória (Bruno Cabrerizo e Vitória Strada) passaram a maior parte da novela sem se verem. Para forçar esse desencontro, Inácio até esqueceu do amigo Geraldo (Jackson Antunes), no momento em que este ficou atrelado a Maria Vitória – o encontro entre Inácio e Geraldo poria fim ao desencontro do par romântico. Ainda um ponto destoante: o sotaque italiano dos personagens Giuseppe e Tomazo (Guilherme Prates e Ricardo Vianna) quando a produção optou por não marcar o sotaque do núcleo de Portugal. Ora, ou se trabalha com sotaques, ou não.

tempodeamar_reproducao99.jpg

Vitória Strada e Bruno Cabrerizo (Foto: reprodução)

Elenco portentoso

Jayme Monjardim lançou dois jovens atores para viverem os protagonistas Inácio e Maria Vitória: Bruno Cabrerizo e Vitória Strada. Ela chamou a atenção desde o início, pela beleza, carisma e segurança em cena. Bruno foi criticado, talvez mais por causa do perfil de seu personagem. Enquanto Maria Vitória era uma moça forte e decidida, Inácio era o personagem ingrato, o mocinho humilde, um tanto inocente e submisso. Ganhou nas redes sociais o apelido de Inércio. Não por acaso, da metade para o final, o ator mostrou evolução em sua interpretação à medida que seu personagem crescia também na trama.

Bruno e Vitória estiveram bem cercados, de um elenco portentoso, robusto. Destaque para as interpretações de mulheres fortes: Marisa Orth (Celeste Hermínia), Regina Duarte (Lucerne), Andreia Horta (Lucinda), Letícia Sabatella(Delfina) e Deborah Evelyn (Alzira). Também os trabalhos de Olívia Torres(Tereza), Lucy Alves (Eunice) e Françoise Forton (Emília). Do elenco masculino, Tony Ramos (sempre irrepreensível), Bruno Ferrari (perfeito como o galã clássico), Cássio Gabus Mendes, Nelson Freitas e o jovem Maicon Rodrigues(o Pepito).

tempodeamar_reproducao97.jpg

Cássio Gabus Mendes e Lucy Alves (Foto: reprodução)

Vintage, porém atual

Uma trama de época que reverbera na atualidade, “Tempo de Amar” tratou de temas do final dos anos 1920 que são caros à pauta atual – como o empoderamento feminino (o termo “empoderamento” é atual, o movimento não) e outros que, infelizmente, persistem hoje: racismo, corrupção política e a questão da febre amarela. Em meio à dura realidade, “Tempo de Amar” propôs um escapismo de qualidade – melodramático, mas com leveza, o que requer habilidade na escrita. Um melodrama clássico que prova que é possível a telenovela manter suas raízes folhetinescas e ainda assim acompanhar a evolução da sociedade, garantindo a manutenção do formato.

A audiência respondeu à altura. A novela fecha com uma média final de 23 pontos no Ibope da Grande São Paulo (quando se espera 20), tendo enfrentado o pior período para uma atração do fim de tarde: horário de verão, a estação em si, as festas de fim de ano e carnaval.

 


  • A Danilo S. le gusta esto





También se etiquetó con una o más de estas palabras clave: Rede Globo, Amor e Morte

5 usuarios están leyendo este tema

0 miembros, 5 invitados, 0 usuarios anónimos